Cuidando do seu carro

Ter um automóvel necessita de atenção. O veículo é um bem que vários trabalham firme para adquirir e por causa disso é necessário ficar de olho na manutenção para não converter o automóvel dos seus sonhos em uma dor de cabeça durável. Como na matéria do portal Terra, realizar as revisões periódicas e substituir peças desgastadas faz parte das manutenções preventivas que ocorrem uma ou duas vezes por ano, porém há algumas precauções que são capazes de serem tomados todos os dias para deixar seu automóvel constantemente em ordem.

A pintura

A pintura é o cartão de visitas de qualquer automóvel. Um carro cintilante e sem riscas chama a atenção por qualquer lugar que passa, e não é necessário gastar milhares de litros de água para preservar o automóvel constantemente aberto.

A preservação diária da pintura consiste em ficar tento ― e retirar ― as sujeiras acumuladas ao longo o dia, por exemplo aquelas manchinhas de piche que se acumulam próximo das rodas ou o famoso cocô de pássaro. Este último é o maior inimigo da conservação da pintura. Os dejetos desses bichos são repletos de amônia, elemento que corrói o tingimento aos poucos e pode causar alteração de coloração, caso fique bastante tempo em contato com a pintura. Remova a sujeira com uma estopa molhada em água e de modo algum esfregue a pintura com algo bruto, isto retira o brilho e pode até mesmo arruinar as camadas superiores da tinta. Segunda a revista Auto Esporte, existem novos produtos que limpam seu carro com mais eficiência e sem poluir tanto.

Chassi e suspenção

A parte de baixo do seu automóvel igualmente merece atenção. Ela acumula muita sujeira, o que pode causar um desgaste exagerado de peças. Limpe constantemente, especialmente se seu automóvel enfrenta estradas sem asfalto com frequência. Tenha em mente que óleos e querosene dão brilho às peças, porém desgastam as borrachas, o que pode gerar acidentes.

Vidros

Os vidros são sensíveis e capazes de riscar com muita rapidez. O primeiro passo para evitar esses riscos é acompanhar todos os dias a situação dos limpadores de para-brisas. Limpadores velhos e borrachas ressecadas irão riscar o vidro depois de algumas passadas. Use itens específicos para levar manchas e limpe por dentro e por fora, apenas não se esqueça que a parte interna dos vidros requer zelo e itens distintos daqueles usados aparentemente.

Bancos e tapetes

Para manter seu automóvel constantemente belo, não basta somente lavá-lo com regularidade. Embora não pareça, a parte de dentro do veículo pode ficar tão suja quanto a externa, por causa disso é fundamental cuidar bem do interior. Os bancos devem ser hidratados periodicamente. Se forem de couro artificial, o ideal é que a hidratação seja feita a cada 3 meses. Já para os bancos de couro animal, o procedimento precisa ser realizado anualmente. Além do mais, evite a ingestão de alimentos (principalmente os mais os gordurosos, de cheiro forte e com capacidade de fazer manchas no estofado) e não fume dentro do interior do veículo. Os tapetes do mesmo modo precisam ser limpos com frequência. Água e sabão são suficientes para limpar os de borracha. No caso do carpete, utilize uma escova úmida.

Manutenção do ar condicionado

O sistema de ar condicionado, do mesmo jeito que qualquer outro elemento veicular, necessita de precauções básicas para proporcionar constantemente um bom desempenho. A princípio, antes de acionar o ar condicionado do seu automóvel, ligue primeiro o motor. Depois de mais ou menos 25 segundos, ligue o ar condicionado e também no momento em que for desligar o automóvel, desligue primeiro o ar condicionado para em seguida desligar o propulsor. Outra orientação fundamental é não acionar o ar condicionado do seu automóvel com o motor em alta rotação, visto que causa desgastes desnecessários de seus componentes.

A troca do filtro anti-polén e a manutenção de ar condicionado precisa ser feita no máximo a cada seis meses, clique aqui para saber mais. No entanto, caso você observe que o ar condicionado do seu veículo demore mais tempo que o comum para resfriar, tiver a percepção de redução de potência ou mau cheiro ao longo de seu uso, são vestígios da necessidade de substituir o filtro ou realizar outra forma de manutenção.

Utilizar o ar condicionado do automóvel com as janelas fechadas traz maiores vantagens, uma vez que há pouco conflito com o ar, exigindo pouco do motor e do próprio ar condicionado. Com a temperatura alta dentro do automóvel, é aconselhável primeiro abrir as portas e deixar o ventilador na potência mais alta por alguns segundos.

Várias vezes, ao ligarmos o ar condicionado, sentimos um abominável cheiro saindo pelas aletas de aeração. O cheiro desagradável, invade o local, incomodando o condutor e passando uma má impressão aos passageiros. Na realidade é complicado evitar esse problema.

O mau cheiro acontece em qualquer sistema de climatização, seja veicular, residencial ou industrial. Uma das complicações mais comuns é a concentração de folhas no interior da caixa de ar. Isto acontece geralmente em veículos que ficam estacionados embaixo de árvores. Essas folhas caem pelas entradas de ar na parte de fora do capô, apodrecendo e liberando cheiros indesejados.  Outro grande originador de mau cheiro é a formação de colônias de bactérias na a superfície do evaporador. Essa área é conveniente à proliferação de bactérias, por ser quente e úmida.